Scrum e Kanban: conheça as diferenças e escolha o melhor método

Publicado em 09/12/2019 por Ines Bahr e Lucca Rossi

Scrum e Kanban, quais as diferenças e qual destes métodos de gestão do fluxo de trabalho as pequenas empresas deveriam seguir? Neste post,  daremos dicas sobre a melhor opção para diferentes tipos de equipe na gestão de projetos.

scrum e kanban

Scrum e Kanban são estruturas ágeis: o objetivo de ambos é definir um processo de gestão de projetos no qual as equipes possam trabalhar da maneira mais eficaz possível.

Scrum e Kanban: as semelhanças

Tanto o Kanban como o Scrum sustentam métodos ágeis e estão baseados nos três princípios de gerenciamento lean seguintes: 

  • Melhoria contínua
  • Orientação do processo
  • Foco no cliente e na equipe de trabalho.

Ambos, Scrum e Kanban, abrem espaço para que aconteçam erros, que não são considerados desastrosos, mas um ponto de partida para melhorias. Os fluxos de trabalho se baseiam em uma abordagem contínua e exploratória da melhoria para reduzir os prazos e minimizar o desperdício de trabalho.

Tais metodologias confiam no princípio pull, que permite à equipe escolher tarefas conforme sua capacidade de trabalho e somente quando houver demanda do cliente por ela. O objetivo sempre deve ser priorizar as necessidades com o maior valor possível para o cliente em vez das tarefas que a equipe mais gosta.

Os métodos ágeis também são caracterizados por sua flexibilidade. Tanto o Scrum como o Kanban não estão condicionados a se limitar a um plano preciso, mas a fazer mudanças e ajustes oportunos segundo o interesse do cliente.

Por último, ambos buscam desenhar o processo de forma a obter resultados rápidos.

Diferenças entre Scrum e Kanban

Com uma maior quantidade de regras e procedimentos, o Scrum é mais rígido do que o Kanban.

É baseado em iterações em períodos definidos, chamados time boxes. Embora a duração desses períodos possa variar inicialmente, eles devem permanecer constantes por um período mais longo para estabelecer um certo grau de regularidade entre os membros da equipe.

O Kanban não trabalha com uma linha do tempo ou com time boxes. Cabe a você decidir quando planejar, refletir, melhorar ou entregar o processo. Na prática, no entanto, também é útil estabelecer um certo ritmo ou fluxo no Kanban.

Apesar de os dois métodos considerarem a mudança como regra, eles têm abordagens diferentes. No Scrum, as tarefas são corrigidas durante o período de um sprint (geralmente de 1 a 4 semanas), enquanto as alterações no Kanban podem ser continuamente registradas e integradas ao fluxo de trabalho.

São três as funções obrigatórias no Scrum: Product Owner, Scrum Master e Equipe de Desenvolvimento. O Kanban não estabelece funções rígidas, mas é possível encontrar um papel equivalente ao de Product Owner no ambiente Kanban, como o Flowmaster ou o Product Manager, por exemplo.

Outra diferença é encontrada na medição da produtividade. No Scrum, a equipe estima a carga de trabalho relativa por pacotes de trabalho, levando em consideração a complexidade e o risco associado. Esse esforço é calculado para a duração de um sprint e, portanto, resulta em uma velocidade que depende da equipe. A primeira métrica calculada na linha do tempo é usada como orientação para os sprints seguintes.

No Kanban, estimar o tempo de execução dos pacotes de trabalho não é obrigatório. A medição da produtividade ocorre na forma de tempo de ciclo, que é o tempo necessário para concluir um pacote de trabalho do início ao fim.

Scrum + Kanban = Scrumban

Desde meados desta década, equipes adotam modelos híbridos com o nome de Scrumban.

Seu elemento básico é um quadro Kanban comum para visualizar os fluxos do processo. A lista de tarefas do quadro, no entanto, é organizada de acordo com o princípio de backlog (tarefas pendentes) do Scrum. Isso significa que as entradas com maior valor comercial têm maior prioridade.

Ao contrário do Scrum, o Scrumban não tem sprints iterativos. O trabalho é realizado continuamente dentro dos limites da equipe.

As funções no Scrumban são semelhantes às do Scrum. O Product Owner cuida da priorização da lista de pendências, o Scrum Master gerencia o processo e a equipe de desenvolvimento é necessária para a implementação e o planejamento. O Scrumban também inclui regularmente eventos do Scrum, como a reunião diária e a retrospectiva.

O método pode ser útil para equipes muito dependentes de terceiros. Frequentemente, acordos com fornecedores ou prestadores de serviços externos são baseados em contratos que não estão sincronizados com um ciclo de sprint interno. Como resultado, a equipe pode ter dificuldade em fazer estimativas precisas do prazo do projeto.

Como decidir qual método ágil usar?

1. Analise sua equipe

Sua equipe é pouco flexível, precisa de um planejamento claro com time boxes e de momentos nos quais deve trabalhar sem perturbações? Se fora assim, o uso do Scrum é recomendado, pois as tarefas são definidas de maneira mais fixa por duas semanas e os distúrbios externos são pouco frequentes.

2. Leve em consideração seu ambiente e os processos

As equipes que têm fluxos de trabalho menos definidos, que iniciam e terminam o trabalho sequencialmente e que, geralmente, precisam priorizar tarefas devido a mudanças nas necessidades funcionam melhor usando o Kanban.

Por outro lado, o Scrum é adequado para projetos com um certo grau de segurança no planejamento. Se você possui clientes, o Scrum também funciona melhor, pois permite fornecer atualizações regulares de progresso.

3. Observe a estratégia corporativa

Para que o Scrum seja estabelecido em uma empresa, é preciso tempo e, acima de tudo, a aceitação da diretoria para avançar em direção à auto-organização.

Se uma empresa prefere ser cautelosa em relação à agilidade e não deseja fazer grandes mudanças organizacionais fundamentais, o Kanban é a melhor estratégia a seguir.

Pensa aplicar essas técnicas na sua empresa? Os post-its nas paredes são excelentes, mas analise também opções de ferramentas online de gestão de projetos para permitir que sua equipe seja o mais produtiva possível.