Conheça as vantagens de adotar a gamificação nas empresas

Publicado em 07/01/2020 por Halden Ingwersen e Lucca Rossi

gamificação nas empresas

Games são uma grande diversão. Usamos os jogos como uma forma de ajuda para o aprendizado na infância, para passar o tempo e fortalecer amizades quando adultos ou como um modo de tornar atividades entediantes mais interessantes.

Responsáveis hoje por uma indústria multimilionária tanto para plataformas online como fora do computador, os jogos chegaram também ao mundo do trabalho. Afinal, com tantas pequenas empresas lutando para aumentar a retenção e a fidelização de funcionários e melhorar o clima organizacional, por que não aprender com os jogos para tornar o trabalho mais divertido? 

Neste post, explicaremos como a gamificação pode complementar seu sistema de gestão de talentos e ajudar o seu negócio a crescer.  

Por que a gamificação nas empresas funciona

Gamificação é o processo de tornar uma atividade educacional ou de trabalho mais parecida com um jogo, encontrando maneiras de torná-la mais divertida e recompensadora. Os elementos gamificados, em geral, são visualmente atraentes e oferecem pontos, recompensas e prêmios com base no desempenho e na conclusão de tarefas.

Se o trabalho não é um jogo, você deve estar se perguntando: por que devo me preocupar com isso? 

De fato, o trabalho pode não ser um jogo, mas isso não significa que não há nada a aprender com os games e seus benefícios. O dicionário Merriam-Webster define gamificação como “o processo de adicionar jogos ou elementos parecidos com games a algo (como uma tarefa) para incentivar a participação”.

Seus benefícios no trabalho se baseiam nas razões pelas quais os jogos são tão divertidos e nas emoções que sentimos quando ganhamos. Sempre que você marca um recorde ou desbloqueia uma nova fase, seu cérebro libera dopamina, um dos “hormônios da felicidade”, que nos faz sentir bem.

Se você produzir dopamina sempre que concluir uma tarefa, seu cérebro associará essa conquista no trabalho a sensações positivas.

Os videogames, em particular, são especialmente calibrados para fazer seu cérebro liberar dopamina. Eles incluem barras e níveis de progresso, rankings de pontuação e conquistas para desbloquear fases. Os games colocam desafios no nosso seu caminho, como quebra-cabeças e lutas, mas de uma maneira divertida e que tornam a vitória ainda melhor.

Ao adicionar itens como distintivos divertidos, gráficos de progresso e a criação de avatares, a gamificação pode tornar o trabalho menos monótono e mais atraente e recompensador. Desafios, recordes e recompensas dentro do jogo aumentam a fidelização e a retenção de funcionários. Estudos mostram que a gamificação faz os funcionários se sentirem mais produtivos.

Vale lembrar que abusar dos jogos pode causar problemas: no ano passado, a Organização Mundial da Saúde classificou vício em games como distúrbio de saúde. 

Como funciona a gamificação nas empresas

Muitas empresas já estão experimentando elementos de gamificação em seus negócios, geralmente atribuindo pontuações a tarefas relacionadas ao trabalho. Ao concluir tarefas, os funcionários vão preenchendo barras de progresso e alcançam novos níveis.

Eles também podem ganhar distintivos, que mostram seu desempenho, ou subir na classificação com os colegas.

Em alguns softwares, as opções de seguimento como os distintivos têm uma tarefa dupla: além de motivar os funcionários, auxiliam na gestão de desempenho, tornando as avaliações mais fáceis e precisas.

A gamificação também tem sido usada em programas de treinamento, atribuindo pontos a quem concluir lições e obter boas notas nos testes e pode ser encontrada até no processo de recrutamento de talentos: há alguns anos, a rede de hotéis Marriott criou um jogo no Facebook no qual os jogadores gerenciavam um hotel e usou o game para identificar talentos em potencial para preencher posições em suas filiais nos EUA.

Onde aplicar a gamificação no trabalho

É óbvio que não podemos transformar o trabalho em um grande videogame colaborativo e esperar que tudo funcione perfeitamente. Porém, é possível selecionar os elementos que tornam os jogos tão cativantes e ser criativo ao utilizá-los.

Pode ser mais fácil implementar a gamificação em trabalhos baseados em números. Nos call centers, por exemplo, onde o número de chamadas ou conversões pode ser rastreado, ou nas equipes de vendas, em que o sucesso pode ser facilmente medido, é bastante simples atribuir pontuações e níveis a determinadas tarefas.

Mas em empresas criativas? Como aplicar a gamificação em um trabalho que envolve pesquisa e redação?

Encontre algum elemento quantificável do produto final, seja o número de visualizações dos artigos publicados ou a contagem de compartilhamentos nas redes sociais. Faça o acompanhamento desses elementos por meio de um software, transforme metas em níveis, use uma barra colorida para monitorar o progresso e envie notificações sempre que os funcionários atingirem um novo nível. 

Outros exemplos de gamificação

  • Na área contábil, por exemplo, é possível calcular quanto dinheiro os funcionários economizam para a empresa.
  • Em suporte técnico, você pode conferir quantos problemas foram resolvidos em uma semana.
  • Em recursos humanos, é possível fazer pesquisas de satisfação com os funcionários e quantificar os resultados. 
  • Como gamificar o seu trabalho?

Se você está pensando em gamificar seu local de trabalho, pode começar dando uma olhada no diretório (completamente grátis!) de sistemas de gamificação do Capterra.

Tem dúvidas ou quer deixar um comentário? Utilize a seção abaixo ou entre em contato com o @Capterra_BR pelo Twitter.

Busca sistemas de gestão de talentos? Confira nossa  lista completa de softwares do tipo, compare soluções e leia comentários sobre os produtos. 

Esse artigo pode se referir a produtos, programas ou serviços ainda não disponíveis em seu país, ou pode ter restrições legais ou regulatórias. Sugerimos que você consulte o provedor de software diretamente para informações sobre disponibilidade do produto ou conformidade com as leis locais.