78% dos consumidores são influenciados por sustentabilidade na hora de comprar

Publicado em 30/09/2021 por Marcela Gava

No primeiro texto de uma série de três artigos sobre sustentabilidade, o Capterra investiga como o conceito influencia os brasileiros na hora de realizar uma compra.     

Pesquisa aponta a consolidação do consumidor sustentável no Brasil

O mundo está mudando e, em alguns aspectos, não indica que seja para melhor. Tanto em 2020 quanto em 2021, o Relatório de Riscos Globais, do Fórum Econômico Mundial, colocou o meio ambiente como uma questão de forte ameaça existencial. Neste ano, 4 dos 5 prováveis riscos estão associados ao meio ambiente –são eles: condições climáticas extremas, deficiência nas respostas climáticas, danos causados pelo homem e perda da biodiversidade. 

Discussões cada vez mais presentes em nível mundial sobre mudanças climáticas, ameaças de extinção, desigualdades sociais, raciais e de gênero e o impacto que eles podem ter na vida das pessoas parecem estar levando-as a consumirem de maneira diferente, com mais consciência. 

Pelo menos os consumidores brasileiros mostram que estão abraçando essa tendência: 7 de cada 10 dizem que as ações sustentáveis de uma empresa os influenciam, em algum grau, quando escolhem produtos ou selecionam fornecedores, de acordo com nova pesquisa global sobre sustentabilidade lançada pelo Capterra

O que é sustentabilidade?

A sustentabilidade encoraja as empresas a enquadrar as decisões em termos de impacto ambiental, social e humano a longo prazo, em vez de ganhos a curto prazo. Exemplos de ações sustentáveis são ter uma equipe diversificada, apoiar projetos sociais, reduzir o uso de plástico e CO2, reciclagem no escritório, entre outros. Ao empregar essas ações, uma maneira de medi-las e acompanhá-las é através de softwares de sustentabilidade

No Brasil, a pesquisa contou com a opinião de 703 consumidores de todas as regiões do país, que foram entrevistados online entre os dias 10 e 16 de agosto de 2021. O mesmo estudo foi executado em outros mercados que o Capterra está presente, como Alemanha, Austrália, Espanha, França, Itália, Holanda, México e Reino Unido (confira metodologia no final do texto).

Na análise global, o Brasil é o país em que os consumidores mais se sentem influenciados por ações de sustentabilidade quando vão realizar uma transação comercial. Em seguida, México (73%) e Espanha (71%) também se destacam na questão. Já Reino Unido (54%) e Holanda (51%) são os países em que os consumidores se sentem menos influenciados em relação à sustentabilidade.  

Outro dado que aponta para o aumento da consciência do brasileiro em relação à sustentabilidade está relacionado ao conhecimento do conceito. Mais da metade (60%) se define como familiarizado com sustentabilidade, enquanto 37% se dizem pouco familiarizados e apenas 3% revelaram que nunca ouviram falar do tema. 

No entanto, essa familiaridade varia de acordo com a condição social das pessoas, já que quanto maior o salário, mais conhecimento sobre o assunto o consumidor tem, conforme demonstra o gráfico abaixo:

O conhecimento do conceito de sustentabilidade tem influência da faixa de renda, no Brasil

Brasileiros topam pagar mais por produtos sustentáveis

Uma vez que veem valor nas questões sustentáveis, os consumidores brasileiros se consideram dispostos a pagar mais para consumir respeitando os preceitos de sustentabilidade. 

Quase metade dos brasileiros (47%) concorda, de alguma maneira, que o preço dos produtos sustentáveis é justo, e 23% concordam plenamente com essa afirmação –trata-se da maior taxa em relação aos outros países participantes da pesquisa.

Os itens que os consumidores mais buscam por opções sustentáveis são comida e bebida

Para se aprofundar na questão, o Capterra também quis analisar quanto a mais os consumidores estão dispostos a pagar por produtos sustentáveis em relação aos produtos regulares. 

De forma unânime, em todos os países e em todas as categorias apresentadas (transporte e entrega, comida e bebida, roupas, cosméticos e produtos de limpeza), a maioria dos consumidores está disposta a pagar 10% a mais.  

Entretanto, quando se analisa outras faixas percentuais, os países latinoamericanos são os que estão mais dispostos a pagar 20% ou mais nos produtos sustentáveis:

Países latino-americanos estão dispostos a pagar 20% ou mais em produtos sustentáveis

Há duas hipóteses para justificar porque esses países veem com mais valor consumir consciente. Primeiro porque, tanto México quanto Brasil, são países com população mais jovem, e justamente são essas pessoas que se mostram mais preocupadas com questões de sustentabilidade (conteúdo em inglês) em comparação com outras gerações.  

Outro ponto que pode influenciar é que, segundo o relatório Eco Despertar, da World Wide Fund for Nature (WWF), as pessoas que vivem em países emergentes são as que têm mais possibilidade de serem afetadas pela devastação da natureza, já que vivem mais perto de áreas que sofrem desmatamento, incêndios, enchentes e secas. Tal cenário pode refletir na preocupação que a população tem com o meio ambiente, levando a adoção de novos hábitos.  

Sustentabilidade entre os valores das empresas 

Os consumidores brasileiros não querem que as ações sustentáveis se restrinjam às suas práticas individuais. Eles esperam que as empresas também advoguem pela causa.  

A pesquisa do Capterra mostra que o brasileiro está inclinado a apoiar empresas que possuem sustentabilidade em seus valores (79%) e, em seguida, que tomam ações em prol do meio ambiente (60%).

Como comunicar os valores da sua empresa

Desenvolver um produto ou serviço sustentável e colocá-lo no mercado sem trabalhar a comunicação de sua característica principal pode afetar o desempenho, prejudicando o alcance e impedindo que os consumidores tenham acesso a ele.

Para ajudar na comunicação, sua empresa pode trabalhar:

Relações públicas: criar relatórios sobre iniciativas de sustentabilidade da sua empresa para publicação no site institucional ou para compartilhar com a mídia.

Redes sociais: elaborar uma estratégia de marketing que aborde temas de sustentabilidade e mostrar como se associam à sua empresa. Ferramentas de redes sociais podem ajudar a criar uma rotina de publicações.

Networking: participar de feiras e eventos pode ser muito útil para tornar sua marca famosa no mercado para consumidores, fornecedores e possíveis parceiros. Se for o caso, organize seu próprio evento; por exemplo, um webinar temático.

Embalagens e rótulos: informar as características do seu produto ou serviço é parte imprescindível da guinada sustentável, especialmente para que o consumidor possa identificar as qualidades do que está comprando. 

Quando se trata do porquê das empresas empregarem essas ações, a maioria (61%) acredita que o principal objetivo das empresas em relação à sustentabilidade é realmente promover a mudança. O Brasil fica atrás apenas do México (66%) nesta percepção positiva. 

Brasil e México são os países que mais veem a sustentabilidade como uma preocupação genuína da empresa

Também é importante notar que o Brasil é o segundo país com a menor taxa entre aqueles que consideram que a preocupação da empresa com sustentabilidade está atrelada à promoção de produtos, fruto de ações de marketing ou relações públicas –24% dos brasileiros citaram essa opção. Com exceção de Brasil, México e Alemanha, o percentual dos países que veem a sustentabilidade como jogada de marketing fica acima de 30%.

Pandemia fortalece novo hábito

A pandemia de COVID-19 levou a diversos novos comportamentos relacionados a consumo; entre eles, o despertar para um tipo de consumo mais sustentável. 

Pelo menos, no Brasil, é alta a quantidade de pessoas que passaram a consumir mais sustentável com a pandemia: 45% reforçaram a influência do evento e declararam que querem ser mais conscientes, comprando mais produtos sustentáveis.

Dicas para implementar sustentabilidade na sua empresa

Na entrega: Utilize serviços de entrega amigáveis pelo meio ambiente, conhecido como ecodelivery. A entrega é realizada por veículos elétricos, não poluentes ou então através do uso de bicicletas. É possível usar um software de roteirização para ter um melhor planejamento das entregas.

Na embalagem: Pense no tamanho da embalagem para não usar mais do que o necessário. Também dê prioridade para materiais biodegradáveis e recicláveis, como vidros reutilizáveis, por exemplo.

Nos ingredientes: Busque trabalhar com matérias-primas alternativas ou recicladas, que respeitem critérios ambientais e sociais.

Na produção: Foque na diminuição de geração de resíduos, promovendo reciclagem, reutilização de insumos e descarte seguro. Há no mercado sistemas de gestão de resíduos para ajudar nesta tarefa.

Nos fornecedores: Verifique se os fornecedores também se preocupam com sustentabilidade. Uma maneira é verificar o cumprimento de normas técnicas, e também se há problemas na justiça referentes a exploração de trabalho infantil ou trabalho escravo.

Nos processos: Implemente tecnologia, como o uso de software de sustentabilidade, para ajudar sua empresa a gerenciar emissões, recursos e reciclagem.  

Isso pode ser resultado de que a pandemia fez os brasileiros estarem mais preocupados com a saúde –pesquisa mostra que 35% dos brasileiros pretendem cuidar mais da saúde neste ano, o que pode ter refletido no consumo de produtos mais sustentáveis. De fato, uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (USP) detectou um aumento na frequência de consumo de itens como frutas, hortaliças e feijão (de 40,2% para 44,6% durante a pandemia).

Antes da pandemia, apenas 7% dos brasileiros disseram que já compravam produtos sustentáveis. Esta é a porcentagem mais baixa em relação aos outros países analisados pelo Capterra. Na Alemanha, por exemplo, a taxa dos respondentes que já compravam produtos sustentáveis antes da pandemia chega a 25%.

Entre os hábitos de consumo realizados pelos brasileiros em prol da sustentabilidade antes de comprar um produto está a análise da origem (53%), seguido pela checagem da embalagem (53%) e do material (48%), mostrando que há uma necessidade de que as empresas trabalhem a transparência relacionada a seus produtos.

Sustentabilidade na empresa

Como a pesquisa do Capterra aponta, os consumidores estão cada vez mais atento às práticas sustentáveis, o que exige que as empresas também mudem suas posturas e práticas relacionadas à sustentabilidade para ir de encontro às necessidades deles –não somente por questões financeiras, mas também por temas morais.  

Busca softwares de sustentabilidade? Confira nosso catálogo.

Metodologia

Para reunir os dados presentes neste estudo, o Capterra realizou um levantamento online entre os dias 10 e 16 de agosto de 2021, em que ouviu 703 consumidores entre 18 anos e 65, de diferentes faixas de renda (até 1 salário mínimo, de 1 a 3, de 3 a 7, de 7 a 15, de 15 a 20 e mais de 20) e de todas as regiões do país. Os entrevistados eram trabalhadores em tempo integral ou parcial. 

Para os outros países, foram ouvidas a seguinte quantidade de entrevistados:

Alemanha: 610
Austrália: 995
Espanha: 614
França: 681
Holanda: 958
Itália: 694
México: 598
Reino Unido: 703

Os resultados são representativos da pesquisa, mas não necessariamente da população como um todo.

Esse artigo pode se referir a produtos, programas ou serviços ainda não disponíveis em seu país, ou pode ter restrições legais ou regulatórias. Sugerimos que você consulte o provedor de software diretamente para informações sobre disponibilidade do produto ou conformidade com as leis locais.

Sobre o(a) autor(a)

Analista de conteúdo do Capterra, cobre as tendências de tecnologia e inovação. Jornalista com mestrado em comunicação pela UAB, de Barcelona. Gosta de criar playlists aleatórias.

Analista de conteúdo do Capterra, cobre as tendências de tecnologia e inovação. Jornalista com mestrado em comunicação pela UAB, de Barcelona. Gosta de criar playlists aleatórias.