Como as tecnologias inovadoras podem ajudar as PMEs

Publicado em 25/09/2020 por Lucca Rossi

tecnologias inovadoras

Não há como negar que a pandemia do novo coronavírus acelerou o processo de transformação digital nas pequenas e médias empresas (PMEs). 

No início da crise, o home office, que já vinha ganhando espaço nos últimos anos, virou regra para um grande número de PMEs como forma de respeitar as recomendações de distanciamento social. Nessa nova realidade, mais descentralizada, as empresas tiveram que correr para adotar tecnologias que tornassem o trabalho remoto mais ágil e eficiente, como a computação na nuvem e as ferramentas para o comércio eletrônico e de gestão de projetos, por exemplo.

O caminho, no entanto, ainda é longo.

Pesquisa realizada pelo Capterra ainda no final de 2019 –antes da chegada do coronavírus, portanto–, analisando o estado da transformação digital nas empresas naquele momento identificou que a maioria delas, apesar de já ter iniciado seu processo de transformação, considerava que deveria investir mais em novas tecnologias.

Apesar de estar na frente de países como Austrália, Alemanha e Japão em relação aos investimentos em tecnologia na nuvem, o Brasil ainda tem muito o que desenvolver, sobretudo em relação a tecnologias inovadoras, como IoT (da sigla em inglês para Internet das Coisas), inteligência artificial, blockchain e big data, ainda pouco exploradas pelas pequenas e médias empresas brasileiras. 

Aproveitando o impulso na digitalização provocado pelo coronavírus, tentaremos desmistificar algumas dessas tecnologias inovadoras e mostrar como elas podem ajudar as PMEs a se adaptarem ainda melhor à crise atual.

Impressão 3D: inovação em produto e manufatura

A impressão 3D não é novidade, remonta à década de 1980, mas apenas recentemente se popularizou a ponto de se tornar acessível para empresas com orçamento reduzido e até mesmo para profissionais autônomos.

O que é impressão 3D?

Segundo a Gartner, a impressão 3D, também chamada de fabricação aditiva, é o processo que usa um dispositivo para criar objetos a partir de modelos digitais. Ela tem aplicação prática em diversos setores da economia, desde o alimentício até o educacional, mas é na moda e na construção civil que tem sido usada em maior escala.

Com impressoras 3D, é possível produzir protótipos de praticamente qualquer tipo de produto e até casas inteiras e completamente funcionais. Então, se a sua empresa fabrica produtos físicos, vale a pena avaliar a possibilidade de substituir a fabricação convencional pela 3D ou mesmo desenvolver novos produtos cuja concepção original já esteja pensada para esta tecnologia.

No campo da construção, seja em arquitetura ou engenharia, a impressão 3D cai como uma luva. Os softwares CAD atuais são, em sua maioria, compatíveis com a tecnologia 3D e auxiliam não apenas na confecção de maquetes hiper-realistas como na própria construção arquitetônica. E o melhor, de maneira sustentável.

Confira também as seguintes categorias: 

Chatbot: atendimento ao cliente 24 horas

O chatbot é um recurso relativamente simples, de fácil implementação e, ao mesmo tempo, poderoso, ao permitir que o cliente converse com um robô usando uma linguagem natural. São inúmeras as possibilidade de aplicação dessa tecnologia no contexto comercial, mas o uso mais comum são os chats automatizados inseridos em sites.

A automatização do atendimento ao cliente tem a grande vantagem de torná-lo um serviço permanente, disponível a qualquer hora do dia ou da noite, em qualquer lugar do planeta. Muitos dos programas de chatbot, inclusive, incluem vários idiomas em sua configuração.

A lista de softwares de chatbot disponíveis é extensa, assim como os recursos oferecidos. Reconhecimento de voz, atendimento omnichannel, assistente virtual, como os dos smartphones, e bots pré-configurados são alguns deles. O importante aqui é programar bem o bot para tornar a experiência do usuário o mais natural e humana possível.

Realidade aumentada: ambientes virtuais quase reais

A realidade aumentada (AR, da sigla em inglês) também é uma tecnologia inovadora cuja origem é ainda mais antiga do que a impressão 3D, mas que também tem ganhado muita visibilidade na última década. Esta tecnologia se adapta muito bem aos smartphones, onde tem vasta aplicação. Vários games e apps usam a realidade aumentada para tornar a experiência do usuário mais interativa e real.

Diferentemente da impressão 3D, a realidade aumentada não está relacionada diretamente com produtos físicos, mas com a oferta e a apresentação deles, especialmente em celulares e tablets. Há diversas situações em que a aplicação da AR permite ao consumidor viver uma imersão quase real da experiência de compra ou uso do produto ou serviço.

A realidade aumentada possibilita reproduzir fielmente qualquer espaço físico, incluindo até os detalhes de decoração, como quadros na parede e luminárias. Isso permite que os clientes façam uma visita virtual bastante real a qualquer tipo de estabelecimento, como se estivessem caminhando entre prateleiras e produtos, por exemplo, mas sem sair de suas casas. Basta usar o celular e a ponta dos dedos. Se você ainda combinar a AR com chatbots, a experiência de venda virtual fica ainda mais parecida com a vida real.

Muitos museus, galerias de arte e parques temáticos largaram na frente agregando realidade aumentada a seus sites e aplicativos próprios. Com a pandemia, outro setor que tem aproveitado os recursos proporcionados por programas de AR é o imobiliário. A AR torna viável a visita virtual a imóveis residenciais e comerciais, permitindo que os clientes potenciais fiquem em casa.

O setor educacional também pode se beneficiar dessa tecnologia inovadora, simulando salas de aula para oferecer cursos e formações. A gamificação aliada à realidade aumentada leva a educação a distância a outro patamar.

Big data: grande volume de dados transformados em informação valiosa

De forma bastante simplificada, podemos considerar o big data como a evolução do processamentos de dados, em que uma grande quantidade de dados é processada a grande velocidade (e até em tempo real), graças ao poder computacional da atualidade.

Com uma capacidade quase infinita de processamento de informações, essa tecnologia abre caminho para gerar insights de valor incalculável para sua empresa. Antecipação de tendências de mercado, decisões de compra de clientes e padrões de comportamento são apenas alguns exemplos do que a análise de dados é capaz de determinar.

Novamente, quando combinado com outras tecnologias, o big data agrega ainda mais valor. Por exemplo, você pode integrar os logs dos chatbots e sua ferramenta de CRM a fim de acompanhar todos os passos do cliente no funil de compras, desde o primeiro contato até o pagamento. Um fator imprescindível é a integração da ferramenta de big data com aquelas já disponíveis na empresa, para armazenar todos os dados em um único lugar e, assim, obter uma análise mais completa.

É hora de investir em tecnologias inovadoras

Essas são somente algumas das tecnologias inovadoras mais difundidas atualmente. Com o amplo desenvolvimento e disseminação que sofreram na última década, elas ficaram mais baratas, deixando de ser inacessíveis às PMEs. A lista de ferramentas é bastante ampla e variada, incluindo opções gratuitas ou de código aberto na maioria das vezes.

Tempo de crise também pode ser tempo de reinventar-se, descobrir novas soluções e experimentar tecnologias inovadoras, sempre com foco no cliente. A epidemia do coronavírus irá passar e, junto com ela, a crise, mas os investimentos feitos agora certamente ficarão como legado para o que vier depois.

Buscas softwares de chatbot? Confira nosso catálogo!

Esse artigo pode se referir a produtos, programas ou serviços ainda não disponíveis em seu país, ou pode ter restrições legais ou regulatórias. Sugerimos que você consulte o provedor de software diretamente para informações sobre disponibilidade do produto ou conformidade com as leis locais.